Posts em Destaque

Posts mais selecionados estão esperando por você . Veja isso

CURSO SUPERIOR DE POLÍCIA MILITAR DO QUADRO DE OFICIAIS POLICIAIS MILITARES (CSPM/QOPM-2016) PROCESSO SELETIVO - EXAME DE SUFICIÊNCIA INTELECTUAL - PROVA E GABARITO

CURSO SUPERIOR DE POLÍCIA MILITAR DO QUADRO DE OFICIAIS POLICIAIS MILITARES (CSPM/QOPM-2016) PROCESSO SELETIVO - EXAME DE SUFICIÊNCIA INTELECTUAL - PROVA E GABARITO


DGEI – ESPM – CURSO SUPERIOR DE POLÍCIA MILITAR DO QUADRO DE OFICIAIS POLICIAIS MILITARES (CSPM/QOPM-2016) PROCESSO SELETIVO - EXAME DE SUFICIÊNCIA INTELECTUAL - PROVA E GABARITO – PUBLICAÇÃO O Comandante-Geral no uso de suas atribuições legais, atendendo proposta do Diretor-Geral de Ensino e Instrução, PUBLICA a prova e o gabarito do exame de suficiência intelectual referente ao processo seletivo para o curso em epígrafe, na forma que se segue:

PARTE I – PLANEJAMENTO, GESTÃO E CONHECIMENTO TÉCNICO PROFISSIONAL.

1)    O princípio da supremacia do interesse público em relação ao interesse privado:

( A ) Estabelece uma situação de igualdade absoluta entre Administração Pública e administrados.

( B ) Influência o momento de elaboração da lei, mas não o momento de sua aplicação pela Administração Pública.

( C ) Estabelece uma situação de igualdade entre Administração Pública e administrados.

( D ) Importa na supremacia que não é absoluta do interesse público sobre o interesse privado.

( E ) Estabelece uma simetria entre Administração Pública e os administrados.

2) Acerca dos princípios de Direito Administrativo, assinale a alternativa correta:

(A) O rol dos princípios elencados pela Constituição não é exaustivo, tanto que existem os chamados "princípios implícitos".

(B) O princípio da legalidade é uma das poucas previsões constitucionais que se relaciona à possibilidade de existir tirania e autoritarismo dos membros do Poder Executivo.

(C) O princípio da moralidade se aplica apenas aos entes da administração pública indireta. (D) A moralidade e a razoabilidade são exemplos de princípios administrativos sem previsão expressa.

(E) O princípio da publicidade não se aplica aos entes da administração pública indireta.

3) No que se refere aos princípios administrativos, considere: I. Como condição para a aquisição da estabilidade, é obrigatória a avaliação especial de desempenho por comissão instituída para essa finalidade. II. A Administração Pública, no exercício de faculdades discricionárias, deve atuar em plena conformidade com critérios racionais, sensatos e coerentes, fundamentados nas concepções sociais dominantes. As proposições I e II dizem respeito, respectivamente, aos princípios da:

( A ) Eficiência e razoabilidade.

( B ) Moralidade e eficiência.

( C ) Eficiência e impessoalidade.

( D ) Imperatividade e razoabilidade.

( E ) Publicidade e motivação.

4) O princípio da autotutela permite afirmar que:

( A ) O poder judiciário não pode rever os atos da administração pública.

( B ) O poder judiciário pode revogar atos administrativos.

( C ) A administração pública deve manter conduta ética.

( D ) A administração pública pode anular seus atos ilegais.

( E )O poder judiciário não pode anular os atos administrativos praticados pela administração.

5) “Correlação entre meios e fins” é expressão que costuma ser diretamente associada ao seguinte princípio:

( A ) Proporcionalidade.

( B ) Modicidade.

( C ) Autotutela.

( D ) Eficiência.

( E ) Moralidade.

6) As garantias constitucionais do contraditório e da ampla defesa, com os meios e recursos a ela inerentes, são asseguradas aos litigantes nos processos:

( A ) Judiciais cíveis e criminais.

( B ) Judiciais e administrativos.

( C ) Judiciais de natureza criminal.

( D ) Judiciais e administrativos que tenham por objeto a demissão de servidor público.

( E ) Do sistema de justiça de natureza criminal penal tributária.

7) A casa é asilo inviolável do indivíduo. Por isso, nela ninguém pode penetrar sem o consentimento do morador, salvo em caso de flagrante delito ou:

( A ) Para prestar socorro em caso de desastre ou para cumprir determinação judicial.

( B ) Desastre, ou para prestar socorro, ou, de dia ou à noite, por determinação judicial.

( C ) Desastre, ou para prestar socorro, ou, durante o dia, por determinação judicial.

( D ) Para prestar socorro, ou, em qualquer hora do dia ou da noite, mediante determinação judicial, necessária esta mesmo em caso de desastre.

( E ) Somente para prestar socorro mediante determinação judicial, necessária esta mesmo em caso de desastre.

8) Não configura sanção constitucionalmente prevista para os atos de improbidade administrativa:

( A ) A suspensão por mais de trinta dias, sem percepção de vencimentos.

( B )A suspensão dos direitos políticos.

( C )O ressarcimento ao erário.

( D ) A perda da função pública.

( E )Pagamento de multa civil.

9) Assinale a opção para a qual não conste consequência expressamente prevista pelo constituinte para atos de improbidade administrativa.

( A ) Ação penal contra o ímprobo.

( B )Suspensão dos direitos políticos do ímprobo.

( C )Perda da função pública do ímprobo.

( D ) Ressarcimento ao erário.

( E )Confisco dos bens do ímprobo.

10) A mudança de mentalidade é a essência da disciplina do pensamento sistêmico que consiste em?

( A ) Ver inter-relacionamentos e ver os processos de mudança.

( B ) Ver inter-relacionamentos e ver os processos de gestão.

      ( C ) Ver as relações pessoais e ver os processos de mudança.

( D ) Ver o conhecimento intelectual e ver a aprendizagem organizacional.

( E ) Ver inter-relacionamentos e ver a aprendizagem organizacional.

11) Marque a resposta que representa o método que facilita a criação de uma visão compartilhada para o futuro.

( A ) Gestão estratégica de capital humano.

( B ) Road-mapping.

( C ) Matriz BCG.

( D ) Planejamento de cenários.

( E ) Matriz de produtos.

12) Nas Capacidades Distintivas de Kay, o autor distingue três capacidades relacionais que permitem as empresas alcançarem a vantagem competitiva. Marque a resposta que representa a capacidade mais poderosa de transmitir informações aos consumidores em um relacionamento comercial.

( A ) Arquitetura.

( B ) Inovação.

( C ) Reputação.

( D ) Produção.

( E )Planejamento.

13) A Matriz BCG é um dos métodos mais conhecidos de planejamento de portfólio de produtos, essa afirmação é baseada em qual conceito?

( A ) De vantagem competitiva.

( B ) De demanda de mercado.

( C ) De ciclo de vida do produto.

( D ) Do clico organizacional.

( E ) Da cadeia de valor.

14) São considerados os elementos básicos do Pensamento Sistêmico.

I. Feedback de reforço.

II. Feedback de gestão.

III. Comportamento organizacional.

IV. Feedback de equilíbrio.

V. Defasagens.

VI. Feedback pessoal.

OPÇÕES DE RESPOSTA:

( A ) I, II e III.

( B ) IV, V e VI.

( C ) I, III e V.

( D ) II, IV e VI.

( E ) I, IV e V.

15) A análise competitiva de Porter (1998) identifica cinco forças competitivas fundamentais que determinam a atratividade relativa de um setor. Essa análise permite entender as relações e as dinâmicas de um setor para que uma empresa tome as decisões estratégicas a respeito da posição mais defensável e mais atraente do ponto de vista econômico. Entre as alternativas abaixo, assinale a que contempla uma das forças do modelo proposto pelo autor:

( A ) Economia local.

( B ) Compradores.

( C ) Globalização.

( D ) Política econômica.

( E ) Mercado de ações.

16) A gestão baseada em valor (VBM) é uma ferramenta usada para maximizar o valor de uma corporação, que usa técnicas de avaliação para gestão de desempenho, controle de negócios e processo decisó- rio. Os sistemas de contabilidade tradicionais determinam o valor das organizações com base em medições de desempenho, como rendimento por ações e retorno sobre o patrimônio. No entanto, eles não levam em conta a eficácia com que os recursos são dispostos e gerenciados, ou seja, o custo de oportunidade para investir. O modelo sugere prestar atenção a quatro áreas de aplicação bem sucedidas. Entre as alternativas abaixo, assinale aquela que contempla essas quatro áreas:

 ( A ) Planejamento – Gestão – Implantação – Modelo mental.

( B ) Gestão – Aplicação – Implantação – Planejamento.

( C ) Mensuração – Gestão – Motivação – Modelo mental.

( D ) Mensuração – Gestão – Implantação – Modelo estatístico.

( E ) Planejamento – Direção – Implantação – Controle.

17) Senge (2013) quando aborda o crescimento autossustentado ou autolimitado, considera que a crescente complexidade do mundo real leva muitos gerentes a assumir que não possuem todas as informa- ções necessárias para agir de forma eficaz. Assim, o autor sugere que o problema de informação fundamental enfrentado por muitos gerentes ________? Analise as opções e assinale a alternativa que completa a sentença:

( A ) É falta de equipamentos e de materiais para apoio à gestão.

( B ) São os fatores internos que limitam a tomada de decisões.

( C ) É baixa capacidade de aprendizado e conhecimento do negócio.

( D ) Não é a falta de informações, mas excesso.

( E ) É o número excessivo de ferramentas de gestão.

18) O modelo de competências essenciais é uma ferramenta do planejamento estratégico para determinar os recursos exclusivos que podem ser usados para criar e oferecer valor aos clientes. O processo para definir tais competências encoraja os gestores a pensar sobre as forças e capacidades que diferenciam a empresa de seus competidores. O ponto de partida para entender as competências essenciais é perceber que uma empresa precisa ter algo que possa fazer bem e que atenda algumas condições. Analise as alternativas abaixo e assinale aquela que define uma das condições citadas pelo modelo:

( A ) Não é fácil de ser copiado pelos competidores.

( B ) Fornece benefícios para os funcionários e diretoria.

( C ) Alavancagem restrita a alguns produtos e mercados.

( D ) Facilidade de cópia pelos concorrentes.

( E ) Promove benefícios aos fornecedores da cadeia de suprimentos.

19) O modelo de crescimento de Greiner ajuda a identificar e entender as causas dos problemas que uma empresa em rápido desenvolvimento pode encontrar, tornando possível antecipá-los antes que ocorram. O modelo foi inicialmente baseado em cinco fases de crescimento, representadas por cinco dimensões. Analise as dimensões descritas a seguir:

1. O tamanho de uma organização.

2. O tempo de existência de uma organização.

3. A fase de revolução de uma organização.

4. A evolução de uma organização.

5. A taxa de crescimento de seu setor.

Avalie as opções abaixo e assinale a alternativa correta:

( A ) Estão corretos todos os itens.

( B ) Estão corretos apenas os itens 1, 2, 4 e 5.

( C ) Estão corretos apenas os itens 2, 3, 4 e 5.

( D ) Estão corretos apenas os itens 1, 2 e 5.

( E ) Estão corretos apenas os itens 1, 2 e 4.

20) A décima Lei indicada por Senge (2013) sugere que: dividir um elefante ao meio não produz dois pequenos elefantes e aborda a integridade dos sistemas vivos e seu caráter dependente do todo. O autor sugere ainda que o fato de ver “o elefante inteiro” não significa que todos os problemas de uma organização só podem ser compreendidos analisando-se a organização como um todo. Nesse contexto, sobre o “princípio dos limites do sistema”, assinale a alternativa correta entre as alternativas abaixo:

( A ) Todas as interações devem sempre ser examinadas, independente da organização.

( B ) Os modelos de gestão devem ser padronizados para garantir maior eficiência das interações.

( C ) As interações que devem ser examinadas são as mais importantes para o problema em questão, independentemente dos limites organizacionais.

( D ) As interações sugerem que a dependência do todo levam a “não dividir o elefante”.

( E ) As interações estão sempre associadas a modelos de gestão padronizados para serem efetivas.

PARTE II - CONHECIMENTO CIENTÍFICO E CULTURAL 21)

21) A obra Do patrulhamento ao Policiamento Comunitário (CERQUEIRA (org.), 1998, p. 88-91) apresenta dois textos básicos: o Plano de Desenvolvimento Econômico e Social do Rio de Janeiro 1984-1987 e o Plano Diretor da PMERJ. Este último documento destaca duas dimensões: a política e a técnica. Desta forma, pode-se afirmar que:

( A ) A dimensão política envolve questões ligadas ao exclusivo dever dos órgãos policiais em prestar contas à população ou ao direito do cidadão em participar das decisões da administração pública.

( B ) A dimensão técnica responde pela eficácia da “integração comunitária” como atividade da área de relações públicas ou de comunicação social.

( C ) A dimensão política envolve questões ligadas ao direito do cidadão de participar das decisões da administração pública.

( D ) A dimensão técnica destaca que os “programas de integração comunitária” devem ser pensados como atividade da área de relações públicas ou de comunicação social.

( E ) A dimensão política responde pela eficácia da parceria entre os órgãos policiais, representantes do Estado, e a comunidade.

 22) Ao discutir “A metodologia da solução de problemas”, Cerqueira ((org.), 1998, p. 92-97) lança mão do pensamento de Garcia-Pablos de Molina. Pelas razões apresentadas, Molina (1982):

( A ) Critica o uso da expressão “problema social” para designar a criminalidade ou o fenômeno criminal.

( B ) Reafirma as teses dos teóricos do policiamento comunitário de que a prevenção do crime deve interessar exclusivamente aos poderes púbicos.

( C ) Compreende que o crime não é um problema exclusivo “da” e que ocorre “na” comunidade e sim de repercussão coletiva ou social.

( D ) Aproxima seu entendimento da visão criminológica de que o crime é um fenômeno do positivismo jurídico-penal.

( E ) Entende que o crime se apresenta como “problema social” e comunitário, com algumas características, entre elas, a “incidência massiva na população”.

23) Com relação às etapas da solução de problemas, dentro da metodologia de parceria com a comunidade, Cerqueira ((org.), 1998, p. 97) enumera os seguintes passos, de acordo com a rigorosa sequência:

( A ) Identificar e analisar o problema; discutir com a comunidade; e, implementar a providência escolhida.

( B ) Identificar e analisar o problema; apresentar à comunidade o problema; e planejar uma providência.

( C ) Discutir com a comunidade; desenvolver soluções; e avaliar as consequências.

( D ) Identificar e analisar o problema; planejar, implementar e avaliar a providência.

( E ) Discutir com a comunidade; planejar e implementar providências; e rever as práticas.

24) Na sua obra Militarização do social como estratégia de integração: o caso da UPP do Santa Marta, Fleury (2012) apresenta e discute alguns conceitos, situações e acontecimentos. Relacione os conceitos numerados com os parágrafos a seguir, com vistas a identificar os significados indicados pela autora e marque a opção que representa a sequência certa.

1. Ideário desenvolvimentista.

2. Clientelismo político.

3. Fragmentação da intervenção.

4. UPP Social.

( ) “Descompasso entre os direitos sociais e civis negados aos favelados, e seu direito político de expressão eleitoral”.

( ) “Deslocado[a] da secretaria de governo de assistência social para um órgão de planejamento urbano municipal”.

( ) “Políticas de remoção das favelas e de criminalização de seus moradores”.

( ) “Concentrado[a] em melhorias urbanas com baixo investimento em programas sociais”.

( A ) 2 – 4 – 1 – 3.

( B ) 4 – 2 – 1 – 3.

( C ) 4 – 2 – 3 – 1.

( D ) 2 – 3 – 1 – 4.

( E ) 2 – 4 – 3 – 1.

25. Ao apresentar seu estudo de caso elaborado na comunidade do Santa Marta, Fleury (2012) em sua conclusão inferiu vários aspectos. Registre (F) nos parágrafos que considerar falsos e (V) naqueles considerados verdadeiros, de acordo com o entendimento da autora no final de sua pesquisa e marque a opção a seguir que representa a sequência certa.

 ( ) A população sente que ganhou visibilidade na mídia e no imaginário da cidade, mas denuncia que perderam direitos de cidadania.

( ) A chegada de empresas de TV a cabo e telefonia proporcionou um pouco de mais de conforto aos moradores.

( ) A comunidade é muito unida e homogênea, não havendo discriminação interna, independente da área que cada grupo de moradores reside, quando o assunto é violência policial e processo de pacificação por parte do Estado.

( ) Existe uma preocupação, por parte dos moradores, de que a política de pacificação seja acompanhada pela perda da identidade e do reconhecimento da comunidade, como se ela estivesse sendo inaugurada pela UPP.

( ) Há denúncias de falta de serviços básicos de esgoto e coleta de lixo, mas a visitação organizada de turistas é vista como uma valorização da comunidade.

( A ) V – F – V – V – F.

( B ) V – F – F – F – F.

( C ) F – V – F – V – F.

( D ) F – V – V – V – F.

( E )V – F – F – V – F

26. Ao discutir o que a autora identifica como “fenômeno da exclusão”, Fleury (2012, p. 207-209) registra alguns aspectos para esta situação. Marque a opção que registra apenas os aspectos apresentados pela mesma.

( A ) Negação dos direitos da cidadania; não incorporação de uma parte significativa da população no mercado de trabalho; e, vazio de propostas em relação ao grupo de jovens com possibilidade de vínculo ao tráfico.

( B ) Negação dos direitos da cidadania; não incorporação de uma parte significativa da população à comunidade social e política, negando sistematicamente seus direitos de cidadania; e sentimento de não possuir o status de um parceiro da interação na sociedade.

( C ) Negação dos direitos da cidadania; não incorporação de uma parte significativa da população no mercado de trabalho formal (carteira profissional assinada); e, explosão de conflitos nas relações intersubjetivas.

( D ) Negação dos direitos da cidadania; diminuição da visibilidade na mídia e no imaginário da cidade; e, proibição de melhorias nas construções, desorganizando projetos pessoais e restringindo suas liberdades.

( E ) Negação dos direitos da cidadania; diminuição da visibilidade na mídia e no imaginário da cidade; e, restrição à liberdade de expressão quando foi fechada a Rádio Santa Marta que socializava vivências e divulgava temas de interesse público.

27. Pela conclusão de Fleury (2012, p. 219-220) relativa a “ausência de proteção estatal aos direitos especiais de cidadania”. Marque a única opção certa que apresenta uma, entre as várias questões identificadas pela autora.

( A ) Ineficácia total dos programas de capacitação (música, lutas, cursos técnicos e de idiomas, etc.).

( B ) Vazio de propostas tanto para crianças como para jovens, apesar da valorização de organiza- ções culturais autóctones (não vinculadas ao projeto de pacificação) que são vistas como polos de apoio.

( C ) Acesso por parte dos moradores ao lazer, como por exemplo, empresas de TV a cabo e telefonia, como importante avanço no oferecimento de mais conforto com valores de prestação de serviços adequados à localidade.

( D ) Elaboração de uma Cartilha de Direitos Humanos, elaborada por grupos locais, com irrestrito apoio policial, já que tais iniciativas colaboram no processo da UPP.

( E ) Resgate do território pelo aparato estatal coercitivo permitindo o avanço do mercado.

28) No Capítulo I do livro Segurança Pública: Onde está a Polícia que Nós queremos?Ocorrem problematizações sobre processos de instituição e compreensão da polícia. Nesse contexto, o autor do livro preconiza:

( A ) A predominância da teoria criacionista sobre a teoria evolucionista na expectativa de se encontrar o primeiro ato de policiamento.

( B ) A origem da Polícia por meio da prevalência da teoria evolucionista sobre a teoria criacionista.

( C ) Uma leitura sobre a Polícia centrada nos modelos ostensivo/preventivo do delito e investigativo do crime.

( D ) O princípio do autocontrole racional, afetivo e acional e os seus dilemas e desafios.

( E ) A rejeição das noções de autocontrole inscritas nas tradições da antiguidade clássica grega, judaico-cristã e da filosofia medieval, moderna e contemporânea.

29) De acordo com o autor de Segurança Pública: Onde está a Polícia que Nós queremos?Torna-se necessário evocar a relevância da questão da identidade para o debate em tela. Para tanto, o autor mobiliza uma constelação de pensadores, ressaltando que:

( A ) As identidades e as alteridades são construídas de modo diretivo e não de forma relacional, segundo Paul Ricoeur.

( B ) Status e Papéis convalidam os princípios da igualdade e da integração nas sociedades modernas, conforme Thomas Marshall.

( C ) Para Pierre Bourdieu, as sociedades incitam e cobram a distinção entre o eu e o tu.

( D ) À luz da teoria fomentada por Ricoeur não é possível firmar uma relação entre identidade e cultura.

( E ) Estadunidenses e europeus compartilham do mesmo ponto de vista sobre a igualdade e as diferenças.

30) Interpretações e explicações de intelectuais que formam o Pensamento Político e Social sobre o Brasil são de grande importância para a compreensão da nossa realidade nacional, conforme o autor de Segurança Pública: Onde está a Polícia que Nós queremos? Pari passu, observa-se no livro que:

 ( A ) Os esforços de compreensão da relação entre Estado e sociedade civil no Brasil ignoraram o iberismo e o americanismo.

( B ) As contribuições do Pensamento Político e Social sobre o Brasil não são significativas para tecer problematizações sobre a segurança pública no Brasil.

( C ) A relação dilemática entre público/privado vivenciada no Brasil reverbera positivamente na vivência da segurança pública e na integração social.

( D ) Os fatores político-institucionais e socioeconômicos representam, respectivamente, a estrutura e a conjuntura que são determinadas pelo relativismo social.

( E ) A segurança pública está inscrita nas relações entre tradição/modernidade e estrutura/conjuntura.

31) O estudo a respeito dos pré-socráticos nos deixa ver as diferenças e as semelhanças entre as estruturas do pensamento mítico, cosmológico e metafísico. Aristóteles, tanto na forma quanto no conteúdo de seu genial pensamento, é essencial para nos deixar compreender a nós mesmo, ocidentais modernos. Sua Filosofia, resumidamente, pode ser considerada como:

( A ) Um caminho entre a cultura circunscrita às cidades-Estado e a cultura que se fez universal e gerou o ‘mundo antigo’, a partir do qual entende-se melhor o nosso mundo.

( B ) Um elo da cultura helenista puramente grega com a cultura da religião cristã oriental.

( C ) Um estudo que busca estipular a realização do ser humano através do culto ao ‘eu-interior, ao indivíduo.

 ( D ) Um caminho entre o caminho helenista puramente grega e a cultura moderna posterior que conduz ao ideal da fraternidade e do individualismo humano.

( E ) Um elo da cultura adstrita às cidades-Estado e a cultura que gerou a felicidade e a hedonismo como paradigmas do mundo ocidental moderno.

32) Em seu genial pensamento, Aristóteles chegou à ideia de que, no geral, a finalidade do homem é a excelência; isto é, o homem concebe seu melhor ao fazer bem aquilo para o qual ele está naturalmente voltado: a sua racionalidade, a sua razão. Este pensamento, adequado à realidade da profissão PM exercida no contexto da responsabilidade social, pressupõe um serviço policial baseado:

( A ) Na articulação da imagem.

( B ) Na transparência.

( C ) Na visão estratégica.

( D ) Na cultura da força.

( E ) Na crença do ethos guerreiro.

33) Agostinho quantificou metafisicamente o mal, vendo-o como privação, como falta de algo, isto é, algo episódico. Os valores institucionais da PMERJ se resumem como uma permanente disposição para fazer o bem e, assim, evitar o mal. O mal, portanto, com base no pensamento de Agostinho, significa:

 ( A ) A falta de um regulamento disciplinar mais rígido e complacente na responsabilização dos desvios.

 ( B ) A falta de uma educação continuada, focada na doutrina, nas reflexões e no compromisso institucional com a reprodução de práticas policiais ético-legais.

( C ) A falta de controle efetivo do armamento letal utilizado nas ações policiais.

 ( D ) A falta de um Código de Ética Profissional responsável pela doutrina e internalização dos valores corporativos.

( E ) A falta de autonomia administrativa para os Comandantes, Chefes e Diretores exercerem uma apuração e responsabilização isentas.

34) A literatura sociológica sobre as mudanças sociais no mundo moderno aponta para uma série de fatores que tem ensejado esse fato social. Os homens mudam individualmente, mas na medida em que há mudanças na sociedade em que se acham inseridos. As mudanças podem ser da ordem do simbólico (imaginário social), do jurídico (novas leis impondo certos tipos de comportamentos) e do político (nova estruturação do espaço público, pressão política de grupos sociais organizados). Ao protagonizar a execução da Polícia de Pacificação, a PMERJ atinge duas estratégias previstas para seu cliente interno, que são:

( A ) Mudanças institucionais de nível estratégico que adotem a inserção do debate ético e sua reprodução nas práticas policiais e a capacitação de policiais ‘multiplicadores’ da instrução continuada.

( B ) Mudanças institucionais alicerçadas em linhas estruturantes de Polícia de Aproximação e o desenvolvimento de novos talentos focados na educação continuada dos direitos da criança e do adolescente.

( C ) Mudanças institucionais que estipulem novas concepções e práticas de polícia afinadas como os discursos dos direitos humanos e da cidadania e a formação de policiais militares ‘multiplicadores’ desta lógica de polícia cidadã.

( D ) Mudanças institucionais que estipulem a fixação dos valores policiais militares adequados à Política de Pacificação e a formação de policiais militares ‘multiplicadores’ dos princípios da Seletividade.

( E ) Mudanças institucionais que estipulem novas estratégias de Polícia de Proximidade, com enfoque nos discursos e nas práticas sintonizadas com o Estado Democrático de Direito e a formação de policiais militares ‘multiplicadores’ dos princípios das Minorias.

35) No mundo moderno, a educação tem sido vista não só como um meio de disseminação de conhecimentos formais, mas também como um meio de integração da população com a cidadania. A PMERJ, ao tornar-se principal protagonista de uma política pública de segurança, investe na educação e na conscientização dos direitos humanos de comunidades, além de executar as suas atribuições constitucionais. Este novo desafio se realiza através:

( A ) Da adoção de procedimentos protocolares alusivos ao policiamento de grandes eventos.

( B ) Da gestão da Polícia de Proximidade.

( C ) Das metas estruturantes do segmento estratégico da Corporação.

( D ) Da gestão articulada da Polícia com o Ministério Público.

( E ) Da gestão visando metas operacionais.

36) O contexto sociopolítico contemporâneo, marcado por rápidas transformações e influenciado por valores da pós-modernidade, sobretudo a desreferencialização e o consumismo, vêm provocando novas reflexões sobre as deontologias. As instituições púbicas, incluídas a PMERJ, se esforçam para rever, fortalecer e fixar os seus valores corporativos. Neste sentido, avulta o resgate de princípios éticos fundantes da profissão PM, a saber:

( A ) Perseverança, hierarquia, liderança e acomodação.

( B ) Transparência, responsabilidade, compromisso e respeito aos direitos humanos.

( C ) Hierarquia, disciplina, eficiência e inserção.

( D ) Liderança, eficácia, desvio e transparência.

( E ) Respeito aos direitos humanos, qualidade, experiência e conflito.

37) A responsabilidade em relação às ações futuras e o compromisso de inserir e preparar/adequar a Corporação às novas exigências dos tempos atuais e futuros, possuem um significado ético e estratégico relacionados com:

( A ) A inserção da ética no processo decisório.

( B ) A preservação da memória corporativa.

( C ) A análise da identidade institucional.

( D ) A sustentabilidade institucional.

 ( E ) A afirmação da cultura institucional.

38) Diante do quadro de instabilidade social no Brasil, a ampliação dos horizontes da cidadania aparece como vital para a própria manutenção da ordem democrática e como um elemento essencial para tornar a sociedade brasileira mais justa. Inserida nesta concepção, a PMERJ vem discutindo e adotando estratégias e práticas policiais sintonizadas com esse contexto, a partir do advento das Unidades de Polícia Pacificadora, cujos indicativos de ação devem se pautar segundo:

( A ) Uma capacitação profissional que busque compatibilizar os princípios de Polícia de Proximidade, com uma prática policial pautada no tecnicismo, no confronto e nos resultados obtidos.

( B ) Uma capacitação profissional que movimente saberes específicos para esta especialidade de serviço policial; que habilite o policial militar para ações e práticas compatíveis com o aprendizado e sua filosofia e que o torne capaz de demonstrar a sua sensibilidade humana e profissional através da conduta ideal.

( C ) Uma capacitação profissional que seja responsável por uma educação continuada, desenvolvida a partir dos ensinamentos teórico/práticos adquiridos no CFAP e aplicada aos policiais militares de todos os Batalhões situados no grande Rio.

( D ) Uma capacitação profissional proporcionada pela Escola de Polícia Pacificadora, que contemple saberes profissionais específicos para o desenvolvimento de ações de Polícia de Grandes Eventos, habilitando os policiais para o exercício da profissão, diante dos novos desafios que se apresentam à Corporação.

( E ) Uma capacitação profissional que movimente saberes de Polícia de Proximidade, capaz de habilitar os policiais a desenvolverem as suas atividades nas comunidades contempladas com as UPPs, tornando-os aptos, unicamente, para o confronto.

39) Com a redemocratização do país a partir dos anos 80, outras dimensões são incorporadas aos discursos sobre os direitos humanos. Dentre elas, a violência policial, o difícil acesso das classes populares à justiça, a discriminação contra os negros, os homossexuais, as crianças e adolescentes em situação de risco, etc. Neste contexto, a Corporação vem desenvolvendo estratégias que busquem compatibilizar os serviços prestados às comunidades com os pressupostos dos direitos humanos, a saber:

( A ) Rever linhas estruturantes, valor agregado, neutralizar o paradigma, segurança comunitária e sustentabilidade institucional.

( B ) Rever princípios e práticas, ignorar o paradigma, credibilidade e mudança institucional.

( C ) Perceber o paradigma, preocupação ética, rever princípios e práticas, credibilidade e sustentabilidade institucional.

( D ) Perceber o contexto, identificar-se com ele, sustentabilidade institucional, responsabilidade cí- vica e imagem da Polícia de Proximidade.

( E ) Perceber o paradigma, reexaminar a doutrina e as técnicas de enfrentamento, credibilidade, responsabilidade social e mudança histórica.

40) Considerando o contexto sociopolítico contemporâneo e o desenvolvimento de espaços públicos destinados a manifestações democráticas, cabe à Corporação adotar novas estratégias e novas práticas policiais compatíveis com as liberdades e as garantias constitucionais dentre outras, a saber:

( A ) Perceber o paradigma e refletir sobre princípios e práticas; ação policial ética, legal, seletiva e moderada.

( B ) Perceber o paradigma e rever princípios e práticas, ação policial legal, seletiva, moderada e conflitante.

( C ) Perceber o paradigma e adequar princípios e práticas; ação policial eficaz, transparente, específica e truculenta.

( D ) Perceber o paradigma e adequar princípios e práticas; ação policial ética, legal, seletiva e moderada.

( E ) Ignorar o paradigma, manter princípios e ética; ação policial adequada, vigorosa, eficiente e moderna.

OBS: Gabarito em destaque na cor vermelho.
CURSO DE APERFEIÇOAMENTO DE OFICIAIS DO QUADRO DE OFICIAIS POLICIAL MILITAR 2016 (CAO/QOPM-2016) – EXAME DE SUFICIÊNCIA INTELECTUAL – PROVA E GABARITO

CURSO DE APERFEIÇOAMENTO DE OFICIAIS DO QUADRO DE OFICIAIS POLICIAL MILITAR 2016 (CAO/QOPM-2016) – EXAME DE SUFICIÊNCIA INTELECTUAL – PROVA E GABARITO

DGEI – ESPM – CURSO DE APERFEIÇOAMENTO DE OFICIAIS DO QUADRO DE OFICIAIS POLICIAL MILITAR 2016 (CAO/QOPM-2016) – PROCESSO SELETIVO – EXAME DE SUFICIÊNCIA INTELECTUAL – PROVA E GABARITO – PUBLICAÇÃO O Comandante-Geral no uso de suas atribuições legais, atendendo proposta do Diretor-Geral de Ensino e Instrução, PUBLICA a prova e o gabarito do exame de suficiência intelectual referente ao processo seletivo para o curso em epígrafe, na forma que se segue:

PARTE I – PLANEJAMENTO, GESTÃO E CONHECIMENTO TÉCNICO PROFISSIONAL. 1) A Lei nº 8.429, de 02 de junho de 1992, prevê as seguintes espécies de atos de improbidade administrativa:
I. Atos de improbidade administrativa que importam enriquecimento ilícito.
II. Atos de improbidade administrativa que causam prejuízo ao erário.
III. Atos de improbidade administrativa que atentam contra os princípios da Administração Pública. IV. Atos de improbidade administrativa que atentam contra o decoro parlamentar.
V. Atos de improbidade administrativa que atentam contra a dignidade da Justiça.
( A ) Todos os atos enunciados estão previstos na referida lei.
( B ) Nenhum dos atos enunciados está previsto na referida lei.
( C ) Os atos dos enunciados III, IV e V estão previstos na referida lei.
( D ) Os atos dos enunciados I, II e III estão previstos na referida lei.
( E ) Os atos dos enunciados IV, e V estão previstos na referida lei.

2) Por força do texto constitucional, os atos de improbidade administrativa importarão em:
( A ) Cassação dos direitos políticos.
( B ) Perda dos direitos políticos.
( C ) Interrupção dos direitos políticos.
( D ) Ineficácia dos direitos políticos.
( E ) Suspensão dos direitos políticos.

3) Constitui ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da administração pública qualquer ação ou omissão que viole os deveres de honestidade, imparcialidade, legalidade, e lealdade às instituições, e notadamente:
( A ) Praticar ato visando fim proibido em lei ou regulamento ou diverso daquele previsto, na regra de competência.
( B ) Facilitar ou concorrer por qualquer forma para a incorporação ao patrimônio particular, de pessoa física ou jurídica, de bens, rendas, verbas ou valores integrantes do acervo patrimonial das entidades mencionadas no art. 1º da Lei nº 8429 de 02 de junho de 1992.
( C ) Permitir ou concorrer para que pessoa física ou jurídica privada utilize bens, rendas, verbas ou valores integrantes do acervo patrimonial das entidades mencionadas no art. 1º da Lei nº 8429 de 02 de junho de 1992, sem a observância das formalidades legais ou regulamentares aplicáveis à espécie. ( D ) Perceber vantagem econômica, direta ou indireta, para facilitar a aquisição, permuta ou locação de bem móvel ou imóvel, ou a contratação de serviços pelas entidades referidas no art. 1° da Lei nº 8429 de 02 de junho de 1992, por preço superior ao valor de mercado.
( E ) Facilitar por qualquer forma para a incorporação ao patrimônio particular, de pessoa física ou jurídica, de bens, rendas, verbas ou valores integrantes do acervo patrimonial das entidades mencionadas no art. 1º da Lei nº 8429 de 02 de junho de 1992.

4) Constitui ato de improbidade administrativa que causa lesão ao erário qualquer ação ou omissão, dolosa ou culposa, que enseje perda patrimonial, desvio, apropriação, malbaratamento ou dilapidação dos bens ou haveres das entidades referidas no art. 1º da Lei nº 8429 de 02 de junhode 1992, e notadamente:
( A ) Praticar ato visando fim proibido em lei ou regulamento ou diverso daquele previsto, na regra de competência.
( B ) Retardar ou deixar de praticar, indevidamente, ato de ofício.
( C ) Revelar fato ou circunstância de que tem ciência em razão das atribuições e que deva permanecer em segredo.
( D ) Frustrar a licitude de processo licitatório ou dispensá-lo indevidamente;e ordenar ou permitir a realização de despesas não autorizadas em lei ou regulamento.
( E ) Deixar de praticar, indevidamente, ato de ofício.

5) As ações destinadas a levar a efeitos as sanções previstas nesta Lei nº 8.429 de 02 de junho de 1992 podem ser propostas:
( A ) Até seis anos após o término do exercício de mandato, de cargo em comissão ou de função de confiança.
( B ) Até sete anos após o término do exercício de mandato, de cargo em comissão ou de função de confiança.
( C ) Até cinco anos após o término do exercício de mandato, de cargo em comissão ou de função de confiança.
( D ) Até três anos após o término do exercício de mandato, de cargo em comissão ou de função de confiança.
( E ) Até dois anos após o término do exercício de mandato, de cargo em comissão ou de função de confiança.

6) São cláusulas necessárias em todo contrato as que estabeleçam, dentre eles (as):
( A ) O objeto e seus elementos característicos; o regime de execução ou a forma de fornecimento; e o preço e as condições de pagamento, os critérios, data-base e periodicidade do reajustamento de preços, os critérios de atualização monetária entre a data do adimplemento das obrigações e a do efetivo pagamento.
( B ) Somente crédito pelo qual correrá a despesa, com a indicação da classificação funcional programática e da categoria econômica.
( C ) Apenas a caracterização da vinculação ao edital de licitação ou ao termo que a dispensou ou a inexigiu, ao convite e à proposta do licitante vencedor.
( D ) A referência da flexibilização do contratado de modificar, durante a execução do contrato, as obrigações por ele assumidas, no que concerne as condições de habilitação e qualificação exigidas na licitação.
( E ) Apenas crédito orçamentário pelo qual correrá a despesa, com a indicação da classificação funcional programática e da categoria econômica.

7) O art. 37 da CRFB/1988 estabelece que a administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios da:
( A ) Legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência.
( B ) Legalidade, impessoalidade e eficiência.
( C ) Legalidade, impessoalidade, moralidade, economicidade e eficiência.
( D ) Legalidade, finalidade, probidade, publicidade e eficiência.
( E ) Impessoalidade, moralidade, economicidade e transparência.

8) O conceito de 4Ps do Marketing foi popularizado por Kotler (2000) e Kotler e Keller (2006). Conhecido como os Quatro Ps, o composto de marketing descreve a posição estratégica de um produto no mercado. Sua premissa indica que as decisões de marketing geralmente se dividem em quatro categorias controláveis. Das opções a seguir, assinale aquela que representa estas categorias:
( A ) Promoção (características) – Preço – Produto (distribuição) – Serviços.
( B ) Preço (características) – Produto – Praça (distribuição) – Promoção.
( C ) Produto (características) – Preço – Promoção (distribuição) – Publicidade.
( D ) Produto (características) – Preço – Praça (distribuição) – Promoção.
( E ) Produto (distribuição) – Preço – Praça (características) – Publicidade.

9) O benchmarking é a comparação sistemática dos processos e desempenhos organizacionais baseados em indicadores predefinidos. Seu objetivo é encontrar as lacunas entre as melhores práticas e o desempenho atual da organização a fim de criar novos padrões e/ou melhorar processos. Considerando que há quatro tipos de benchmarking, assinale a alternativa que representa esses quatro tipos:
( A ) Benchmarking Externo – Benchmarking Estratégico – Benchmarking Funcional – Benchmarking Genérico.
( B ) Benchmarking Externo – Benchmarking Competitivo – Benchmarking Gerencial – Benchmarking Específico.
( C ) Benchmarking Interno – Benchmarking Competitivo – Benchmarking Funcional – Benchmarking Genérico.
( D ) Benchmarking Interno – Benchmarking Estratégico – Benchmarking Estrutural – Benchmarking Comparativo.
( E ) Benchmarking Interno – Benchmarking Comparativo – Benchmarking Operacional – Benchmarking Genérico.

10) O modelo de mentalidade enxuta, também conhecido como manufatura enxuta ou filosofia Toyota, tem foco na eliminação de muda (palavra japonesa que significa desperdício) e se propõe a cortar todos os itens ineficientes e desnecessários na produção de bens e serviços. Nesse modelo é indicada a raiz de todos os males para as organizações. Assinale a alternativa que indica esse principal componente gerador de problemas:
( A ) Finanças.
( B ) Estoques.
( C ) Logística.
( D ) Recursos Humanos.
( E ) Marketing.

11) O centro de compras e suprimentos é um modelo desenvolvido por A.T. Keamey, que pode ser usado para planejar, avaliar e monitorar as práticas de liderança em compras, seguindo-se o exemplo de empresas de sucesso. O modelo construído na forma de casa, constitui-se de três níveis básicos: Processos de definição de direção, Processos essenciais de compras e Processos de apoio, além de oito dimensões chamadas de “cômodos”, as quais abrangem mais de cem itens detalhados que diferenciam líderes de retardatários.
Levando em conta os processos definidos nos três níveis básicos citados, assinale a alternativa que indica os conteúdos dos Processos de definição de direção:
( A ) Estratégia de Compras – Alinhamento Organizacional.
( B ) Gestão de desempenho – Gestão de recursos humanos.
( C ) Gestão de conhecimento e informação – Gestão de processos organizacionais.
( D ) Fornecimento – Gestão de relacionamento com o fornecedor.
( E ) Gestão de processos operacionais – Gestão de recursos humanos.

12) O modelo de remuneração é uma estrutura conceitual para o projeto, a implementação e a avalia- ção de uma estratégia de remuneração nas organizações. Originalmente desenvolvido por Milkovich e Newman (2007) para examinar opções estratégicas na gestão de todos os aspectos da remuneração, o modelo é descritivo em três setores: Técnico, Objetivo e Político.
Com base nesses três setores, temos que o Técnico ____________, o Objetivo _________ e o Político ____________.
Assinale a alternativa que completa corretamente as lacunas:
( A ) Delineia as bases do sistema – vincula as políticas e os objetivos de remuneração – do sistema de remuneração.
( B ) Delineia as bases da remuneração – desvincula as políticas e os objetivos de remuneração – do sistema de remuneração.
( C ) Do sistema de remuneração – delineia as bases do sistema – desvincula as políticas e os objetivos de remuneração.
( D ) Delineia os objetivos – desvincula as políticas e os objetivos do sistema – do sistema de remuneração.
( E ) Vincula as políticas e os objetivos de remuneração – do sistema de remuneração – delineia as bases do sistema.

13) Para tornar a função organizacional de compras mais eficaz utiliza-se qual modelo de gestão?
( A ) Centro de Compras e suprimentos.
( B ) Benchmarking.
( C ) Custeio baseado em atividades.
( D ) Inventário gerenciado pelo fornecedor.
( E ) Manufatura responsiva.

14) No modelo de gestão Análise de Valor dos Custos Administrativos, Assen recomenda utilizar outro modelo de gestão. Que modelo é este?
( A ) Centro de Compras e suprimentos.
( B ) Benchmarking.
( C ) Custeio baseado em atividades.
( D ) Inventário gerenciado pelo fornecedor.
( E ) Manufatura responsiva.

15) A Pirâmide de Curry fornece um guia de implementação de CRM, forçando a empresa a segmentar o mercado de que forma?
( A ) Quanto ao tamanho.
( B ) Quanto à região.
( C ) Quanto à geração de receita.
( D ) Quanto à produção.
( E ) Quanto à demografia.

16) O Balanced Scorecard (BSC) foi desenvolvido por Kaplan e Norton, em 1982, como uma alternativa às abordagens tradicionais de medida de desempenho que se concentram exclusivamente em indicadores financeiros e baseiam-se apenas no desempenho passado de uma empresa. O Balanced Scorecard é um mé- todo de cima para baixo cujo objetivo é definir metas e objetivos organizacionais.
O BSC mede o desempenho empresarial de acordo com quatro perspectivas Assinale a alternativa que indica essas quatro perspectivas do modelo.I – Feedback de reforço:
( A ) Financeira – Processos internos do negócio – Aprendizado e crescimento – Clientes.
( B ) Gestão de Pessoas – Processos externos – Clientes – Produção.
( C ) Financeira – Marketing – Produção – Clientes.
( D ) Operações – Processos logísticos – Financeira – Marketing.
( E ) Gestão de Pessoas – Processos Logísticos – Clientes – Marketing.

17) A análise de causa e efeito faz parte de uma classe de métodos para resolução de problemas destinado a identificar a causa principal de determinadas situações ou eventos. Baseia-se no diagrama de Ishikawa (Diagrama espinha de peixe ou de causa-e-efeito). É considerado uma das sete ferramentas básicas da gestão da qualidade. Geralmente a análise é feita no início de um projeto de redesenho de processos de negócios ou de um programa de gestão da qualidade, como o modelo de excelência EFQM, sendo classificado como método operacional. Analise as opções a seguir:
I. A análise de causa e efeito é usada para explicar variações de um processo.
II. Certa medida de variabilidade é normal e não necessariamente provoca um distúrbio significativo. III. Uma variação indesejada pode acarretar sérias perdas ou danos, atrasos e reduções de produtividade, sobretudo se ocorre em processos críticos.
IV. A primeira etapa essencial é encontrar as consequências das variações e quantificar seu efeito. Assinale a alternativa que representa a sequência correta:
( A ) Estão corretos os itens I, II e III.
( B ) Estão corretos os itens I, II e IV.
( C ) Estão corretos os itens II, III e IV.
( D ) Estão corretos os itens I, III e IV.
( E ) Estão corretos os itens I, II, III e IV.

18) Kaizen significa mudança (kai) para o bem (zen). Seus principais elementos são: qualidade, esforço, vontade de mudar e comunicação. A casa Gemba, como base do Kaizen, tem cinco elementos fundamentais: 1 – Trabalho em equipe; 2 – Disciplina pessoal; 3 – Melhoria do moral;
4 – Círculos de qualidade; - Sugestões para melhoria.
Com base nesses fundamentos, o Kaizen concentra-se na eliminação da muda (desperdícios e ineficiências). Assim, etapas são indicadas e que devem ser executadas nos eventos Kaizen. Assinale entre as opções abaixo a alternativa que representa uma das etapas:
( A ) Analisar o objetivo.
( B ) Verificar e garantir a solução.
( C ) Gerar soluções corretas.
( D ) Melhorar a solução.
( E ) Criar simulados de implantação.

19) O pentagrama da gestão de marca é um modelo que ajuda a traduzir a estratégia corporativa em uma política de gestão da marca declarando os princípios da gestão de marcas, “carregando a marca”, escolhendo o posicionamento desejado e traduzindo esse posicionamento em ações cotidianas. O pentagrama é um modelo que serve para avaliar e elaborar cinco fatores essenciais que influenciam a estratégia de gestão de marcas e consiste em cinco pontos inter-relacionados: Princípios da gestão de marcas – Posicionamento – Consistência nos portadores da marca – incorporação da marca – Ciclo de planejamento e controle. Analise as opções e assinale alternativa que indica corretamente em que consistem os Princípios de gestão de marcas:
( A ) Segmentação – Grupo alvo – Posição.
( B ) Missão da marca – Percepção desejada da marca – Arquitetura da marca.
( C ) Segmentação da marca – Percepção do grupo alvo – Posição.
( D ) Missão da marca – Percepção do grupo alvo - segmentação.
( E ) Missão da organização – Percepção do grupo alvo – Posicionamento da marca.

20) O Modelo de Seis Sigmas é utilizado para? Marque a resposta correta.
( A ) Melhorar o desempenho operacional de uma organização, identificando e tratando suas defici- ências.
( B ) Melhorar o desempenho organizacional, identificando e tratando suas eficiências.
( C ) Melhorar o desempenho de produção de uma organização, comunicando suas deficiências.
( D ) Melhorar a receita operacional de uma organização, identificando e tratando suas deficiências.
( E ) Melhorar a produtividade de uma organização, identificando e maximizando suas deficiências.

PARTE II - CONHECIMENTO CIENTÍFICO E CULTURAL

21) De acordo com Ricardo Balestreri (1998) “o uso legítimo da força não se confunde [...] com truculência”, o que desvincula “rigor” de “violência”. Dessa forma, marque a opção correta relativa à compreensão deste autor sobre a delimitação da fronteira entre a força e a violência.
( A ) No campo formal pela lei; no campo racional pelo antagonismo que deve reger a metodologia de policiais e criminosos; e no campo moral pelo inconsciente coletivo levando em conta que o policial exerce função educativa arquetípica.
( B ) No campo formal pela necessidade técnica; no campo racional pelo antagonismo que deve reger a metodologia de policiais e criminosos; e no campo moral pelo inconsciente coletivo levando em conta que o policial exerce função educativa arquetípica.
( C ) No campo formal pela lei; no campo racional pela necessidade técnica; e no campo moral pelo antagonismo que deve reger a metodologia de policiais e criminosos.
( D ) No campo formal pela “dimensão pedagógica”; no campo racional pelo antagonismo que deve reger a metodologia de policiais e criminosos; e no campo moral pela necessidade técnica.
( E ) No campo formal pela “ética” corporativa; no campo racional pela necessidade técnica; e no campo moral pelo inconsciente coletivo levando em conta que o policial exerce função educativa arquetípica.

22) Para Norberto Bobbio (1992) citado por Dornelles (1998, p. 16-17) o conceito de Direitos Humanos:
( A ) Varia de acordo com o modo de organização da vida social e do contexto histórico.
( B ) É um fundamento absoluto e inalienável a todos os indivíduos de determinada sociedade.
( C ) Não admite, em hipótese alguma, possíveis ampliações conceituais.
( D ) Tem significação própria ou distinta, portanto não interage com os conceitos de direitos civis, políticos, sociais, econômicos, culturais e de outros no campo do direito.
( E ) Tem uma ampliação conceitual que passou a integrar, exclusivamente, os direitos civis e políticos.

23) Consta, na obra de Cerqueira e Dornelles (orgs.) (1998, p. 19) três Princípios Fundamentais compatíveis com o policiamento e a manutenção da ordem pública. São eles:
( A ) O respeito e a obediência às leis; o respeito pela dignidade humana; e a capacitação policial para o desempenho das funções de proteção.
( B ) O respeito e a obediência às leis; o respeito no relacionamento da corporação policial com a comunidade; e o respeito e a proteção dos direitos humanos.
( C ) A capacitação policial para o desempenho das funções de proteção; o respeito no relacionamento da corporação policial com a comunidade; e o respeito e a proteção dos direitos humanos.
( D ) o respeito no relacionamento da corporação policial com a comunidade; o respeito pela dignidade humana; e o respeito e a proteção dos direitos humanos.
( E ) O respeito e a obediência às leis; o respeito pela dignidade humana; e o respeito e a proteção dos direitos humanos.

24) Segundo Cerqueira (1998, p. 7), ao discutir sobre o Manual de Direitos Humanos, as noções sobre direitos e deveres “estarão sempre presentes [na] atividade policial”. Com tal percepção, esse autor entende que:
( A ) Dever é a obrigação moral de fazer ou deixar de fazer alguma coisa. É circunstancial e absoluto. ( B ) Direito é o poder moral de fazer, de possuir ou exigir alguma coisa. É inviolável, absoluto, universal e deve ser exigido até pela força.
( C ) Dever é a obrigação moral de fazer ou deixar de fazer alguma coisa. É universal e relativo.
( D ) Direito é o poder moral de fazer, de possuir ou exigir alguma coisa. É inviolável, relativo, universal e deve ser exigido até pela força.
( E ) Dever e direito são conceitos idênticos na prática policial.

25) Cerqueira (1998, p. 11) indica situações que “muitas vezes [...] têm servido de justificativas para os abusos policiais”. Com esse entendimento, marque a opção, apresentada pelo autor, como argumento(s), muitas das vezes, para a violência e abusos policiais.
( A ) Adequado treinamento policial para emprego da força, da aprendizagem como fazê-lo e instru- ção sobre as restrições estabelecidas pelas normas internacionais de emprego da força.
( B ) O poder de deter como importante elemento do poder de polícia, daí a razão para policiais atuarem dessa maneira, quando a situação ocorrer em áreas perigosas e violentas.
( C ) A “ética corporativa” e o compromisso com uma falsa identidade policial em “acobertar práticas abomináveis”.
( D ) A violência dos criminosos ou mesmo a situação presumida de violência instalada em determinadas áreas da cidade.
( E ) O “ethos policial” que se aproxima do “ethos do guerreiro” quando a situação ocorre em áreas com práticas criminosas violentas.

26) Cruz Neto et al. no Capítulo 1 do livro Nem Soldados Nem Inocentes: juventude e tráfico de drogas no Rio de Janeiro priorizam durante a análise:
( A ) Apenas a atualidade para explicar o desenvolvimento do tráfico de drogas no Rio de Janeiro.
( B ) A perda de poder do individualismo e dos conflitos entre as pessoas devido à vivência de formas homogêneas de violência.
( C ) A compreensão do tráfico de drogas no Rio de Janeiro, considerando as raízes históricas dessa questão e as suas manifestações na atualidade.
( D ) A demonstração de que não existe correlação entre jovens infratores e potencialização do tráfico de drogas no Rio de Janeiro.
( E ) A relação entre violência e criminalidade por meio das classes sociais, ignorando a discussão sobre cidadania e estigmatização.

27) Sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente, o ECA, Cruz Neto et al. afirmam no livro Nem Soldados Nem Inocentes: juventude e tráfico de drogas no Rio de Janeiro que:
( A ) A estrutura social brasileira acolheu sem resistência e limitações a implementação do ECA.
( B ) As desigualdades sociais e a percepção da relação entre pobreza/criminalidade dos setores arcaico-repressores das elites brasileiras não ferem os princípios democráticos do ECA.
( C ) O ECA superou precariamente a visão repressora até então vigente sobre as crianças e os adolescentes, que estava fundamentada na Lei de Segurança Nacional.
( D ) Por meio do ECA, crianças e adolescentes passaram a ser tratados nitidamente como cidadãos, com direitos e deveres.
( E ) A implantação do ECA deve ser considerada um fracasso, pois as determinantes sociais prevaleceram sobre esse processo de mudança de uma lógica repressora para uma proposta democrática.

28) Ao abordarem as rotas da droga (do Brasil para o mundo), Cruz Neto et al. dissertaram no livro Nem Soldados Nem Inocentes: juventude e tráfico de drogas no Rio de Janeiro que:
( A ) As atividades desenvolvidas pelos traficantes são idênticas de cidade para cidade, o que autoriza uma análise generalizada sobre as rotas da droga.
( B ) O ciclo exportador apresenta etapas distintas, conforme o potencial do mercado consumidor interno e suas características socioeconômicas.
( C ) As armas representam o menor símbolo de toda essa cadeia, apesar de serem verdadeiros símbolos de poder.
( D ) Os instrumentos de controle social da classe hegemônica no decorrer do século XX preservaram o poder, sem perda, diante das novas leis de mercado e da diminuição das desigualdades sociais.
( E ) Diversos transportes são utilizados nas rotas da droga, dentre eles, jatinho, transporte rodoviário e navio, porém o tráfico tem o mesmo modus operandi no Rio de Janeiro, em Corumbá e em São Paulo.

29) Souza et al. no artigo "Fatores associados ao sofrimento psíquico de policiais militares da cidade do Rio de Janeiro, Brasil" coloca em evidência a saúde desses profissionais, entendendo que:
( A ) As características estruturantes da Polícia Militar possibilitam maiores mudanças institucionais, preservando a saúde física e mental desses policiais.
( B ) O nível de estresse dos policiais militares é igual a de outras categorias profissionais, apesar da natureza das atividades.
( C ) A hierarquia rígida e a disciplina militar não interferem no nível de estresse dos policiais militares.
( D ) As relações com o Sistema de Justiça e o público também não afetam a saúde dos policiais, porque não são fontes geradoras de estresse.
( E ) Os policiais militares do Rio de Janeiro possuem condições de saúde e de trabalho que tendem a ser extremas.

30) Dando continuidade à análise sobre as condições de trabalho e saúde dos policiais militares, Souza et al. registram no artigo "Fatores associados ao sofrimento psíquico de policiais militares da cidade do Rio de Janeiro, Brasil" que:
( A ) Para Lipp, profissionais que lidam com tarefas perigosas, dentre eles, os policiais, afirmam que o estresse é sempre negativo e plenamente dispensável no exercício profissional.
( B ) Diferentemente do eustresse, o distresse é a dose positiva de estresse necessária para a realiza- ção do serviço daqueles que operam regularmente com o perigo, segundo Lipp.
( C ) A pesquisa identificou que as variáveis do perfil socioeconômico e demográfico dos policiais permanecem como explicativas do sofrimento psíquico desses profissionais.
( D ) É necessário o desenvolvimento de espaços de escuta dos problemas que os policiais vivenciam no cotidiano e em momentos de grandes tensões.
( E ) A insatisfação com vários aspectos da vida, dentre eles, o trabalho, não aumenta as possibilidades de sofrimento psíquico dos policiais militares.

31) A civilização é concebida como tudo aquilo por meio do que a vida humana se elevou acima de sua condição de animal. A vida humana difere da vida dos animais em dois aspectos: os conhecimentos e as capacidades adquiridas para controlar as forças da natureza; e os regulamentos (leis, normas, regras) para ajustar as relações dos homens uns com os outros. Na luta pela sobrevivência o animal racional teve de enfrentar três grandes desafios, a saber:
( A ) O poder superior das forças da natureza, a fragilidade da fala e as normas de conduta impostas pelos grupos.
( B ) O poder superior dos conhecimentos, o acesso à cultura e a utilização da escrita.
( C ) O poder superior da natureza, a fragilidade de seu próprio corpo e as leis que regulam suas ações sociais.
( D ) O poder superior da natureza, a conquista da fala e a moral instituída no seu grupo.
( E ) O poder superior da cultura, o acesso às leis e regras dos grupos sociais e a fragilidade dos bens adquiridos.

32) Para Kant, a moral é a racionalidade do sujeito, e este deve agir de acordo com o dever e somente por respeito ao dever. Este pensamento aplicado ao exercício dos deveres policiais militares pressupõe:
( A ) Uma exata noção de servidor público, de serviço público, de identidade e de adestrabilidade.
( B ) Uma exata noção de serviço público, de servidor público, de prestação de contas e de transparência.
( C ) Uma exata noção de limites, de cidadania, de insalubridade e de gestão financeira.
( D ) Uma exata noção de servidor público, de escolha, de cidadania e de metas operacionais.
( E ) Uma exata noção de serviço público, de servidor público, de capacitação física e de prestação de apuração.

33) Sócrates e Kant apoiaram seus pensamentos sobre ética, numa perspectiva de moral adquirida pela pessoa através de sua convicção pessoal, de fundamentação racional sobre as normas e o cumprimento do dever ou obrigação moral. Esta visão busca:
( A ) Encontrar no homem as possibilidades de acesso às reflexões centradas no dever e na relativiza- ção da obrigação moral.
( B ) Compatibilizar as questões teóricas da ética com a sua prática de validade exterior ao indivíduo. ( C ) Interiorizar a reflexão e a valorização da objetividade e da personalidade do indivíduo.
( D ) Encontrar no homem as condições de possibilidade do conhecimento verdadeiro e do agir livre.
( E ) Reconhecer no homem o seu poder de racionalidade e que o seu agir moral obedeça aos imperativos sociais.

34) Uma das questões ainda consistentes na Ética é a distinção entre o bem e o mal. Agir eticamente é agir de acordo com o bem. A ética procura determinar os meios para atingir o bem. A profissão PM, considerada a sua singularidade e os seus desafios, é caracterizada por uma permanente atuação entre o bem e o mal. Neste sentido, cabe à Corporação:
( A ) Estabelecer a sua doutrina, proporcionar a educação continuada, buscar a internalização dos altos valores individuais e cultuar a meta estipulada.
( B ) Estabelecer os seus valores institucionais, fixar a sua doutrina, proporcionar a educação continuada e cultuar a conduta exemplar desejada.
( C ) Estabelecer a sua estratégia, proporcionar a conduta exemplar, buscar a internalização do policial guerreiro e cultuar a educação continuada.
( D ) Estabelecer a sua doutrina, proporcionar a educação continuada, buscar a internalização da expressividade e do confronto e cultuar a conduta exemplar desejada.
( E ) Estabelecer os seus valores institucionais, buscar a sua doutrina, proporcionar a educação a distância e cultuar a educação continuada.

35) Os indivíduos nascem numa determinada sociedade, na qual vigora uma moral efetiva que não é invenção de cada um em particular, mas que cada um encontra como dado objetivo, social. Por esta rela- ção entre moral e sociedade, a Ética não pode prescindir do conhecimento objetivo das:
( A ) Relações de poder, dos atos morais e da hierarquia de valores históricos criados pela Filosofia.
( B ) Estruturas sociais, de suas relações econômicas e da organização sociopolítica proporcionada pela Ciência Política.
( C ) Instituições sociais e suas relações de poder, proporcionadas pela Antropologia Cultural.
( D ) Estruturas sociais, de suas relações e instituições proporcionadas pelas Ciências Sociais e, em especial, pela Sociologia como ciência da sociedade.
( E ) Instituições sociais, das estruturas sociopolíticas e das relações de poder proporcionadas pelo Direito.

36) O valor da Ética como teoria está naquilo que explica e não no fato de prescrever ou recomendar com vistas à ação em situações concretas. Desta forma, cabe à Deontologia Policial Militar, à luz das reflexões éticas, estipular regras e deveres inerentes à conduta ideal no exercício da profissão. Trata-se de uma ética própria e abrangente, que deve significar para o policial militar:
( A ) Uma ética profissional, construída na cultura institucional, transmitida doutrinariamente e praticada conforme os valores individuais e as tendências da sociedade.
( B ) Uma ética particular, fundada nos valores individuais que variam no tempo e no espaço, conforme as mudanças sociais.
( C ) Uma ética consigo mesmo, com a família, com a instituição e com a sociedade.
( D ) Uma ética consigo mesmo, com a família, com a instituição e com a mídia organizada.
( E ) Uma ética profissional, fundada nos valores institucionais, internalizada doutrinariamente e reproduzida por condutas profissionais compatíveis com os interesses pessoais.

37) A livre obediência à lei ou às normas escolhidas não é uma prisão, mas, antes, é liberdade. Trata-se de um ato de escolha. Neste sentido, a consciência moral do policial militar é como um ‘juiz’, uma ‘luz ou voz interior’ que o conduz a adotar ou a negar uma conduta que lhe é imposta pelo dever. Ao adotar a conduta ideal (ético/legal), o policial militar opta por uma escolha que reproduz:
( A ) A sua independência interativa.
( B ) A sua identidade majoritária.
( C ) A sua autonomia moral.
( D ) A sua liberdade política.
( E ) A sua negação moral.

38) O policial militar, ao ingressar na Corporação, traz consigo vivências e comportamentos morais desenvolvidos em seu meio sociocultural. Por outro lado, irá vivenciar uma cultura corporativa marcada por suas características, dilemas e desafios. Do ponto de visa ético, a sua escolha profissional pelo caminho do mal vai reproduzir:
( A ) A desordem moral da sociedade contemporânea e a convivência com os bons exemplos internos.
( B ) A inversão de valores ético-morais da sociedade contemporânea e a cooptação dos bons companheiros de serviço.
( C ) O correto aprendizado dos valores morais em suas experiências e hábitos anteriores e a adequada internalização dos valores institucionais.
( D ) Uma vivência sociocultural anterior à Corporação, com duvidosa conduta moral e a influência negativa dos maus companheiros.
( E ) O conhecimento da Ética policial militar, sua integral adoção, compartilhada com o segmento corporativista aético.

39) Sócrates e Kant desenvolveram um pensamento ético estruturado na visão de moral adquirida pela pessoa, fundamentada na razão, na sua convicção pessoal sobre normas e o cumprimento do dever. Este pensamento configura um caminho que conduz a autonomia moral da pessoa. No contexto da Ética policial militar, está autonomia moral implica em:
( A ) assegurar ao policial militar atos de escolha compatíveis com a dignidade da profissão e a grandeza da Corporação.
( B ) garantir ao policial militar atos de escolha que reproduzam vivências e hábitos anteriores moralmente incompatíveis com a profissão.
( C ) proporcionar ao policial militar a segurança necessária para o exercício de profissões paralelas.
( D ) integrar o policial militar no cotidiano da cultura corporativa aética.
( E ) assegurar ao policial militar atos de escolha compatíveis com a dignidade da profissão e as contradições da Corporação.

40-Aristóteles buscou estabelecer o bem no âmbito do que é humano. Sua ética se fez como a atividade de bem deliberar e das escolhas racionais, bem como do cultivo a moderação. Este pensamento aplicado às práticas policiais desenvolvidas nas sociedades democráticas impõe novos indicadores, dentre os quais:
( A ) Letais e sofisticados.
( B ) Seletivos e transparentes.
( C ) Adequados e conflitantes.
( D ) Seletivos e desgastantes.
( E ) Adequados e autoritários.

OBS: Gabarito em destaque na cor vermelho.